Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

27
Jan15

Vejo turvo

alex

Vejo turvo.

Desde os meus 10 anos que o mundo para mim não é um lugar nítido. Vejo tudo destorcido. Letras, caras, formas, cores...é tudo uma grande bola de confusão para os meus olhos.

Isto, claro, se eu não usar os meus óculos ou as minhas lentes. Desde os meus 10 anos que tenho miopia e que o mundo para mim não é nítido. Faz-me questionar como será ter olhos saudáveis. Olhos que sem óculos ou lentes de contacto são capazes de ir na estrada e ler as tabuletas sem terem de estar mesmo por debaixo delas.

Pergunto-me se será agradável não termos os nossos olhos escondidos por um par de óculos, ou a vista cansada e a incomodar-nos ao fim de oito horas de andarmos com as lentes de contacto.

Não me lembro de como era o mundo quando eu tinha olhos saudáveis. A verdade é esta. As memórias que tenho dos anos anteriores aos meus 10 são poucas e consistem de fragmentos de coisas que não ajudam a matar a minha curiosidade.

Eu sei que via bem antes de fazer 10 anos, mas não me lembro de como isso era. 

Na minha altura, entrei para uma nova escola, sem conhecer absolutamente ninguém, com um par de óculos novinhos em folha na cara. Julguei-me muito inteligente e sofisticada com aqueles óculos fininhos que me davam um ar de totó. Sofri a minha quota parte de insultos à pala da necessidade de usar óculos. Fui a Xana a caixa de óculos, Xana a quatro olhos, Xana Cegueta... e a lista desenrola-se por aí fora.

Claro que isto faz muito mais estragos ao íntimo de uma criança de 10 anos do que o que faria agora à jovem de 18 que sou. 

A verdade é só esta: ao fim de um ano, usar óculos já não me incomodava e deixou também de incomodar os outros. Era como se aquele objecto já fizesse parte da minha cara - tenho um nariz, dois olhos, lábios e óculos. Era mais uma característica minha. 

Á medida que fui crescendo, os óculos foram mudando. Tive uns cor-de-rosa da Dolce&Gabana naquela fase em que queria a todo o custo afirmar-me e espetar na cara das pessoas que sim, sou cegueta, sim uso óculos e tal não me incomoda nem um pouco. Depois tive uns azuis escuros, mais discretos e esses foi os que me duraram mais tempo e, sinceramente, os que me assentavam melhor.

Há coisa de quase dois anos atrás arranjei os que tenho hoje - aquele castanho vintage, semi redondos mas arqueados nas pontas. Enfim, difícil de descrever.

Há quatro meses atrás, quando andava a procura de emprego, decidi apostar nas lentes de contacto. Porque olhava para o espelho e via estes olhos amendoados, castanhos, com pestanas longas completamente escondidos por detrás de uns óculos.

Já para não falar do facto de que as minhas pestanas são como os limpa-vidros do carro - elas estão sempre a bater nas lentes dos óculos e é enervante (sim, isto acontece mesmo quando eu não tenho rímel posto, já todos sabem que eu nasci com pestanas anormalmente longas, passemos à frente).

Mas agora as lentes chegaram ao fim (eram as de três meses) e eu voltei aos óculos. Não que não tenha gostado de usar lentes porque adorei, mas porque as mesmas são caras.

As lentes, mais o líquido de manutenção, ao todo foi tudo à volta dos 60€ (auch). Neste momento não quero gastar esse dinheiro porque posso precisar dele (estou a meio do longo processo que é mudar-me para outro país para estudar) e não quero andar a gastar dinheiro assim, como se andasse cheia dele.

Tenho os meus óculos e para fazer a Vida que tenho feito ultimamente (casa, trabalho, trabalho casa) servem. Mas admito que prefiro mil vezes as lentes de contacto. Porque me dão um cheirinho do que seria se os meus olhos fossem saudáveis. 

Deixam os meus olhos turvos ver nítido por algumas horas sem ter uns óculos pendurados no nariz.

E claro, não escondem os meus olhos que são das poucas coisas que eu gosto em mim.

Ora se algum de vocês for como eu, cegueta que nem uma porta, e por acaso costumam encomendar lentes de contacto mais baratas de algum site da Internet, agradecia a recomendação. Pode ser que para o final do próximo mês já consiga despender o dinheiro para comprar novas lentes de contacto.

Até lá, continuo a ver o mundo turvo - sem óculos, e a ser caixa de óculos para o conseguir ver nitidamente.

You lose some, you win some.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D