Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

22
Jul15

Só duas?

alex

A minha maior preocupação no momento é saber como é que vou enfiar tudo o que preciso de levar - roupas, sapatos, comida e maquilhagem - tudo em duas malas. Uma de cabine e outra de porão. E a não esquecer a minha almofada. Posso dormir no chão, ao relento, seja onde for, mas sem a minha almofada não consigo dormir (manias, bem sei).

Os dias vão-se passando e já só faltam 15 dias...15 dias minha nossa senhora!

Acho que é a altura apropriada para começar a pirar, não? (Brincadeira, estou tranquila....)

09
Jul15

É tramado!

alex

O dia aproxima-se a olhos vivos e aquele pequeno monstro que até agora tenho conseguido domar, até bastante bem, ameaça acordar e dar-me um mau bocado. Tenho dias em que nem fome sinto, tal é a ansiedade. Obrigo-me a comer porque sei que quando lá chegar, vão ser poucas as refeições ao princípio.

Isto é algo que eu nunca pensei ser possível até há uns tempos atrás. Sair de casa dos meus pais aos dezanove e ir viver para um outro país, para estudar e trabalhar e começar uma vida completamente independente e nova.

Assusta como o caraças. Vou entrar naquele avião a tremer por todos os lados e vou sair dele, já lá, a tremer ainda mais. Há pessoas que foram e vieram passadas 24 horas. 

E há pessoas que foram e ficaram, como a C., e que hoje têm um vida estável e boa por lá. Claro que com saudades que batem de vez em quando, claro que com dificuldades e problemas aqui e ali, mas isso é tudo parte da Vida em geral, quer estejamos aqui ou em Londres ou na China.

Mas antes, e para acalmar este meu coração ansioso, vou passar uma semana à santa terra que tanto adoro. Os avós já lá estão e eu parto Sábado de manhã, bem cedo, no comboio para a Covilhã. Acho que me vai fazer bem... respirar aquele ar puro da serra, nadar na piscina à minha vontade sem irmãs e primos chatos (que apesar de tudo adoro), apanhar sol para ficar com uma cor saudável e esquecer tudo durante uns dias.

Vai ser a calma antes da tempestade e quando voltar, o tempo vai passar tão depressa que eu vou piscar os olhos uma vez, e o dia 6 já vai estar perante mim.

É tão estranho... esta mistura de sentimentos tão grande que vai dentro de mim. Ora sorrio ao pensar que vou finalmente começar um novo capítulo da minha vida, ora quase que perco o fôlego ao pensar em tudo o que isso implica.

Crescer é tramado...

30
Mai15

Addio, adieu, aufwiedersehen, goodbye!

alex

E assim chegam ao fim 5 meses e 11 dias de trabalho na loja que me viu crescer *limpa lágrima no canto do olho*.

Pausa para riso sarcástico.

Mas sim, a realidade é esta - a minha pessoa já não está empregada a partir de hoje. A loja vai "fechar", segundo os meus patrões mas, e isto dito só aqui entre nós, eu não acredito muito nisso.

Mas, seja verdade ou não, tenho a agradecer aos meus patrões por me terem empregado, eu uma jovem de 18 anos (na altura) sem experiência de loja nenhuma e apenas com um mês de call center no currículo.

Graças a eles pude pagar a minha candidatura à faculdade e não vou de bolsos vazios para Londres. Verdade seja dita que não fiz muito por aqui, porque a função em si também não o pedia. Bastou-me saber organizar ficheiros, marcar visitas do técnico, passar umas facturas, sorrir de boca cheia aos clientes, ouvir os velhotes que por cá passavam ao sábado de manhã para dizer um olá e fazer a limpeza ao estaminé.

Também é verdade que sofri muito aqui sozinha. Passei, ao início, 40 horas por semana na loja, a querer bater com a cabeça nas paredes. Depois, quando o meu horário foi reduzido, fiquei ambos feliz e aborrecida porque começou a entrar menos dinheiro - mas as paredes já não me chamavam tanto como antes.

Quando me perguntavam se eu gostava do trabalho, eu não podia mentir e dizer que sim, mas também não podia mentir e dizer que não. Apenas dizia que havia muito pior e que me dava o que eu precisava - dinheiro.

Dava-me jeito mais um mês aqui para eu ficar mais confortável, mas de qualquer das formas, nunca iria ficar aqui depois do mês de Julho. A despedida chegou mais cedo e de certa forma, até estou aliviada.

É certo que ao olhar para trás, não são muitos os momentos em que possa dizer - epá, vou ter saudades! Mas como já disse, há trabalhos muito, mas mesmo muito piores que este e estou agradecida por me ter sido dada a oportunidade de cá estar, a fazer o meu melhor e a ser tratada sempre da melhor forma.

Nisso não me posso queixar - acho que patrões como estes dois, nunca eu vou ter novamente na vida. Principalmente o meu patrão, que podia muito bem ser uma personagem saída dos Malucos do Riso!

E pronto, assim se encerra mais um capítulo na vida da Alexandra, para, espero eu, poder começar a trabalhar para um novo e melhor capítulo da minha jornada.

Digo adeus com um sorriso nos lábios, contente por dar este capítulo como encerrado.

Que venha outro!

16
Abr15

Querer (não) é poder

alex

Eu quero saltar de um avião - com pára-quedas.

Eu quero saltar de uma ponte - com um arnês e uma corda que me deixe cair a pique mas que não me deixe cair de cara na água ou no chão.

Eu quero escalar uma montanha - ou uma parede de escalada.

Eu quero fazer scuba diving - voltar a sentir o que senti há tantos anos atrás quando o fiz pela primeira vez.

Eu quero andar de moto 4 sem ter de me agarrar a ninguém - quero ser eu ao volante, sentir o vento a passar por mim como se eu fosse vento também.

Eu quero andar de mala às costas, de mapa na mão e óculos de sol na cara e ir por aí fora - perder-me para me encontrar num lugar distante, lindo, novo.

Eu quero tanto... mas a altura nunca chega. A oportunidade não vem. As aventuras tornam-se em quereres e não em fazeres.

Quero muito. Mas às vezes querer só, não chega.

31
Jan15

Vou ter vizinhos!

alex

Aqui ao lado da loja, existe uma outra que tem estado fechada há imenso tempo. Costumava ser uma loja de informática mas nunca eu me lembro de ver a loja aberta.

Hoje de manhã cheguei aqui à loja e qual não é o meu espanto quando vejo dois senhores a carregarem serras e ferramentas para dentro do estabelecimento vizinho!

A senhora dona da loja veio aqui assim que eu abri a porta, para me dizer olá e também para deixar cá uma máquina de costura para ver se o chefe consegue arranjar.

Adorei a senhora. Simpática, bonita apesar de já estar na casa dos 50, provavelmente, e de sorriso fácil - assim como eu, menos a parte dos 50 anos.

Em conversa descobri que a loja vai ser de roupa de várias marcas conhecidas (e caras) pelo que é perfeito! Assim não vou cair em tentação de dar dois passos e ir lá gastar dinheiro (porque aposto que vai ser tudo roupas assim para o dispendiosas) e arranjei uma vizinha com quem passar as horas mortas por aqui!

São as coisas pequenas da Vida que nos trazem sorrisos, não há duvida!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D