Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

25
Fev15

Estas coisas perdem-se?

alex

Tenho de escrever um máximo de 2000 palavras, sobre o que eu quiser, tendo de no entanto ser uma demonstração explícita das minhas capacidades no âmbito da escrita criativa.

Ora, o trabalho tem de ser escrito em inglês - sem problema, até porque a maioria das histórias que escrevo são em inglês.

Ainda não obtive resposta por parte da minha advisor se o que eles pretendem é algo do género de um conto.

No entanto, tenho de enviar o trabalho para ela até dia 15 de Março. Não querendo deixar para a última, digamos que estou aqui um bocadinho sem saber o que fazer.

Primeiro, tenho um monte de ideias a flutuarem-me na cabeça, mas não as consigo fazer assentar tempo suficiente para me focar numa e escrever.

Já escrevi uma coisinha, mas ao reler, achei que era demasiado triste - ultimamente tenho andando inclinada para a escrita depressiva, em vez da escrita criativa.

Tempo para me sentar e pôr a minha alma nisto é o que não me falta - o meu trabalho felizmente assim o permite.

No entanto, vejo-me perante uma página de Word em branco, sem saber ao certo o que fazer.

Será que perdi a prática no que toca a fazer trabalhos escritos deste género?

*Levando as mãos à cabeça*

09
Jan15

Isto é do cansaço mas...

alex

Ás vezes questiono-me o porquê de não poder ter sonhos e objectivos mais simples. 

Porque é que não posso ser como os outros e querer ir para uma faculdade em Lisboa, tirar um curso que até roça um bocadinho aquilo que eu gosto mas não inteiramente.

Porque é que eu não quero ficar aqui na minha casinha, sossegadinha e me quero ir enfiar num país que não conheço?

Porque é que eu tive de arranjar trabalho para poder pagar os meus estudos e não engoli o meu orgulho e aceitei o dinheiro que me foi oferecido pelos meus avós?

Ás vezes questiono-me se a Vida é mesmo difícil ou se sou eu que a complico com os meus sonhos, os meus objectivos e a minha casmurrice.

Porque eu quando meto uma coisa na cabeça, não há quem se me a tire. Não há. E eu quando quero mesmo muito uma coisa, faço tudo por isso. Mesmo que pelo caminho chore de frustração e cansaço; mesmo que pelo caminho pense em desistir e me questione do porquê de eu não ter os mesmos sonhos que todos os outros - ir para uma faculdade perto de casa, acabar o curso, arranjar um emprego mediano, casar e ter filhos e morrer velha caquética.

Ás vezes...é complicado. E eu pergunto-me se é mesmo, de facto, complicado ou se sou eu que complico.

O cansaço faz-me pensar, escrever e dizer coisas destas. Não liguem que isto lá para domingo já me passou.

04
Jan15

Suficientemente boa

alex

Por vezes questiono-me se serei suficientemente boa - boa amiga, boa filha, boa empregada, boa pessoa.

Apresento-me como forte, determinada e certa de mim. Mas por vezes dou por mim a ser fraca, insegura, duvidosa.

Aparento ser corajosa e indestrutível. Mas às vezes sou medrosa e fácil de atingir.

Engulo muita palavra com medo do impacto que estas terão - em mim e nos outros. Sou como as garrafas de champanhe, cheias até acima e normal se fechada. Mas se me abanarem muito...ao abrir, expludo por todos os lados.

Por vezes questiono-me se serei suficientemente boa - boa amiga. Se digo mesmo tudo quanto o que devia, se faço mesmo tudo quanto podia ou se pelo contrário, guardo palavras com medo do que elas poderão desencadear e se me deixo ficar quieta com medo de que as minhas acções tragam dor desnecessária.

Por vezes questiono-me se serei suficientemente boa - boa filha. Se digo vezes o suficiente o quanto estou grata por ter os pais que tenho e o quanto gosto deles. Se arrumo o quarto todas as semanas ou se ajudo o suficiente com as tarefas de casa ou se pelo contrário não mostro muito a minha gratidão para com os meus progenitores, se deixo a roupa acumular-se em cima do pequeno sofá durante semanas, se deixo loiça por lavar e roupa por passar.

Por vezes questiono-me se serei suficientemente boa - boa empregada. Se chego sempre a horas e saio sempre à hora, se limpo o chão da loja dia sim dia não, se atendo bem os clientes ou se pelo contrário chego sempre atrasada (mesmo que não esteja lá ninguém para confirmar os meus atrasos), se saio sempre uns minutos mais cedo, se há dias em que não me apetece pegar na esfregona e limpar o que os outros sujaram e se por vezes o meu sorriso é demasiado frio para com os clientes.

Por vezes questiono-me se serei suficientemente boa - boa pessoa. Se sorrio aos velhotes que passam por mim na rua e lhes digo bom dia, se penso às vezes naqueles que têm menos do que eu, se me esforço por ser simpática e acessível ou se pelo contrário caminho com os lábios cerrados ignorando os que me rodeiam, se me fecho no meu mundo e deixo transparecer uma pessoa sisuda e arrogante.

Por vezes questiono-me se sou boa o suficiente.

Há dias em que chego à conclusão de que não o sou.

21
Dez14

Perco-me, por vezes.

alex

Por vezes perco-me. Durante umas horas, vagueio, meia cega pelas lágrimas que ameaçam despoletar dos meus olhos.

Por vezes, perco-me. Por entre as dúvidas e incertezas; os medos e as ansiedades; as memórias e os fantasmas do passado.

Perdida, deambulo. Só. Nunca sozinha, mas sempre só.

Por vezes...perco as forças. Tenho vontade de baixar os braços e perder-me, não só às vezes, mas sempre e para sempre. Por vezes não são apenas os meus olhos que choram - é a alma também.

E quando a alma chora, sentimos que não vamos conseguir parar. Recuperar.

Encontrar-nos.

Por vezes desejamos perder-nos, às vezes. Sempre. Para sempre.

 

06
Out14

Persistir!

alex

Esta semana não podia ter começado melhor - e não, felizmente, não estou a ser sarcástica!

Recebi finalmente boas notícias e não tarda nada, a minha vida vai começar a andar para em frente, me vez de estar em pausa. Já estou há quase um mês há espera de boas notícias e hoje, finalmente, elas chegaram!

Estou entusiasmada e assustada para o que aí vem, mas confiante de que se der o meu melhor, sou capaz de qualquer coisa.

Pela primeira vez desde há muito tempo, sinto que a minha vida está a ganhar um rumo - um rumo que me pode trazer muitas oportunidades e coisas boas. É saber agarrar esta oportunidade e fazer o melhor dela...

Quando puder, dou mais detalhes, mas até lá, só queria partilhar a minha alegria. Apesar de ainda ter de esperar mais uns dias para as coisas arrancarem, pelo menos agora sei que a espera não será em vão!

E pensar que eu estava a ponderar em desistir de tudo e ir procurar outra coisa, género call center e outros... mas algo dentro de mim me disse para eu esperar, só mais um bocadinho. E foram várias as vezes em que a vozinha dentro de mim estava errada, em relação a muita coisa.

Mas sabe tão bem quando ela acerta...oh se sabe!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D