Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

28
Jul15

Os sisos deixam-me sisuda

alex

Alguém que me explique o porquê de nos nascerem os dentes do siso. Alguém, por favor, me faça entender a finalidade desses dentes. Os outros todos ainda percebo, são essenciais para a malta mastigar a comida e não parecer uma velhinha desdentada - mas os do siso?

Só servem para dar chatices! 

Aqui há uns tempos comecei a sentir o bastardo a nascer-me do lado esquerdo, em baixo e toda eu virei vermelha de raiva porque já sabia o que ai vinha. Eu não tenho os dentes tortos, mas também não são os mais direitinhos que para aí andam e, há dois anos atrás (a última vez que fui ao dentista) a doutora disse-me que eu devia de usar aparelho só para corrigir umas coisinhas aqui e ali e também porque, quando os dentes do siso começassem a nascer, ia ser doloroso porque eu não tenho espaço para eles.

Mas aqui a vossa amiga na altura ainda não tinha descoberto a receita para cagar dinheiro e actualmente, ainda menos. Por isso o aparelho foi posto de lado e prometi a mim mesma que quando ficasse rica, usava aqueles invisíveis e pronto.

Mas eu ainda não sou rica e agora a porcaria do dente está a querer crescer mas, como não tem espaço, resolve manifestar-se e dá-me umas dores que quando como pareço uma deficiente, a mastigar só para o lado direito. 

Agora lá vou eu ter de ir ao dentista amanhã ver o que se pode fazer com isto - se é coisa para arrancar (o que me vai fazer gastar uma pipa, já estou mesmo a ver...) ou se é coisa que se resolva com anti-inflamatórios.

Dentes do siso = inúteis, dolorosos e dispendiosos. 

13
Mai15

Uma história de amor

alex

Vou-vos contar uma história de amor, daquelas muito mas mesmo muito românticas, em que as duas personagens principais não conseguem viver uma sem a outra durante muito tempo.

Então aqui vai:

Era uma vez uma menina de dez anos que brincava no parque com dois dos seus amigos. Era primavera, oh que bela eram as árvores dançando ao sabor do vento, os risos das crianças a brincar a única coisa mais bonita que essa dança.

A menina decide pendurar-se de cabeça para baixo nas escadas do escorrega - ela disse que queria ver o sangue subir-lhe à cabeça. E naquele momento, foi amor à primeira vista - PIMBAS!

A criança cai no chão e no processo racha o osso do tornozelo direito. 

Assim começa uma relação intemporal entre a rapariga e o(s) Chão(s).

A menina anda de muletas durante um mês, com direito a gesso e pé de meia elástico - mas quem diz que o amor dói não mente! O dela era bastante doloroso!

Uns anos depois, a menina já crescida, resolve matar saudades do seu primeiro amor - não vai de modas e desta vez, dá-lhe um abraço dos grandes! Vai de queixo ao chão e quase morre de ataque de pânico à pala disso.

É levada para o hospital, dão-lhe oxigénio porque para além do queixo esmurrado e a sangrar por tudo o que é sitio, ela estava com falta de ar - foi um encontro tão repentino e breve com o seu amor, que ela até deixou de saber fazer a mais básica das coisas, que é respirar, vejam só!

Desta vez não rachou nem partiu nada - o amor ainda dói.

Um ano depois desse incidente, a saudade bate outra vez. Na hora de almoço, lá vai ela ao Continente para comprar umas coisinhas quando, de repente, o amor chama-a e ela não vai de ignorar - PUMBA!

Torce o pé e dá um beijinho ao chão, o seu grande amor.

Ainda bem que ela guardou o pé de meia elástico estes anos todos! 

Não há amor como este. Dói tanto que eu até choro. Porquê?

PORQUE SOU EU. EU PASSO A VIDA NISTO. AGORA ESTOU AQUI QUE NEM POSSO COM DORES NO PÉ E PAREÇO UMA ANORMAL A ANDAR. ARRANJEM-ME UMA DAQUELAS BOLAS ENORMES DE PLÁSTICO PARA EU ME ENFIAR LÁ DENTRO SE FAZ FAVOR!

Peço desculpa pelo Caps Lock, mas era necessário. Este amor já me chateia. 

Quem diz que o amor dói e que não se escolhe quem se ama não podia estar mais certo.

Mas querido Chão, encontremos-nos só quando eu cair para a minha morte, pode ser? É que eu preciso dos meus membros inferiores (e superiores) para viver!

Assim não dá amor!

21
Set14

Podia ser pior

alex

Hoje é daqueles dias em que só apetece ficar na cama o dia todo sem fazer nada. Sem televisão, sem telemóvel, sem computador, sem livros, sem música. Só eu, a minha almofada e o meu páreo que em dias como o de hoje, em que não está calor mas também não está frio, me serve de manta.

Porque o dia de ontem não podia ter sido pior e porque fiquei, ainda por cima, meia constipada. No entanto, senti necessidade de abrir o blog e vir aqui deixar isto registado - porquê, não sei bem ao certo. Talvez seja hábito, talvez seja uma forma de me obrigar a não ficar o dia todo na cama a ter pena de mim própria, talvez seja só porque sim.

De qualquer das formas, aqui está. 

O pior é que amanhã começa uma nova semana e os nervos começam a tomar conta de mim - os nervos, as dúvidas e o medo. Estes três nunca são uma boa combinação não é verdade? Rezem por mim se forem religiosos; façam figas se não o forem. Não faz mal não saberem ao certo para o que é, a verdade é que eu preciso de boas energias para chegar ao final desta (longa) semana que aí vem com um sorriso na cara e um telefonema que me deixará feliz (espero eu).

Coisas boas agora, só para aligeirar este post meio depressivo...o meu pequeno almoço hoje foi uma chávena de chá e bolachinhas caseiras em forma de boneco, como quando eu costumava ser pequenina e a M. fazia para nós.

Outra coisa boa...vou finalmente adquirir lentes de contacto. Não que eu não goste de usar óculos - ao fim de oito anos já estou mais que habituada e não me importo - mas é sempre muito mais prático visto que, se entretanto começar a trabalhar, os óculos não me vão ajudar muito a ser uma boa candidata para o trabalho...vai fazer sentido quando eu puder falar mais sobre isto.

Enfim, pois é, lentes de contacto e bolachas em forma de boneco são os meus highlights deste fim-de-semana desastroso.

E no entanto, a parte não negativa de mim que tem andado a ser contruída ao longo deste último ano, grita na minha cabeça:

"Podia ser pior".

E apesar de estar meia surda por causa da pequena constipação que apanhei ontem, estou a fazer de tudo para ouvir essa voz. A sério que sim, apesar deste post não ser bem um reflexo disso.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D