Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

14
Abr15

Conversa de gaja

alex

Ultimamente, ando com um hábito terrível. Apanho o cabelo todos os dias, mesmo nos dias em que o lavo. Isto é mau por duas razões:

Parte o cabelo;

Parte o cabelo.

Isto é conversa de gaja, eu sei. Eu tenho pouca conversa desta, até comigo mesma. Mas se há coisa com a qual sempre tive um certo problema, para além da minha pele, é o cabelo. Eu sempre tive cabelo ondulado/encaracolado, que tem tendência para virar completamente frisado quando num ambiente menos hospício. Já tive todos os comprimentos, penteados e cortes que podem imaginar - cabelo curtinho à rapaz, pelas orelhas, estilo bob, pelos ombros, pelo peito, abaixo das mamas... enfim, acho que já tive cabelo de todo o jeito e feitio. Mas agora quero deixá-lo crescer, só que ele não está a coisa mais bonita com o tamanho actual, porque o meu cabelo só é engraçado de duas formas - ou muito curto ou muito comprido. Quando está no meio-termo, fica muito aborrecido e toda a gente sabe que eu odeio aborrecido. Por isso, não vou de modas e toca de fazer uns low buns com a franja solta e uns caracóis a emoldurar a cara e siga caminho. É mau, especialmente porque ele está pintado e isso enfraquece também o cabelo, não precisando do acrescento de andar sempre apanhado.

Mas é tão prático e salva-me de andar a varrer cabelos do chão da loja todos os dias e quando saio à rua e está vento, não corro o risco de cair, bater com a cabeça e morrer por causa dos cabelos que me tapam a vista!

Portanto, das duas uma - ou o volto a cortar (coisa que prometi que não fazia até Julho) ou então continuo a praticar este mau hábito até ele estar a um comprimento aceitável.

As escolhas difíceis da minha vida... Isto só demonstra o quão "sem sal" são os meus dias ultimamente, meu deus.

15
Fev15

O grande dilema da minha vida

alex

A última vez que cortei o cabelo foi em Junho de 2014. Nunca eu o cortei tão curto como nessa altura (a altura em que tinha três anos e a minha achou piada cortar-me o cabelo todo, estilo rapaz, não conta).

Cortei-o pelas orelhas, escadeado. Foi um choque ao principio mas toda a gente gostou (ou pelo menos não disseram se não gostaram.)

Ao inicio só eu sei o quão feliz estava, era verão, não tinha o cabelo a pesar no pescoço e era uma maravilha, dando-me um ar mais maduro.

Chegado o fim do verão comecei a gostar de o ver a crescer... e comprometi-me em não o cortar durante um ano (só as pontas caso seja necessário a dada altura) para ver o quanto ele crescia durante um ano. Pintei-o de castanho porque queria voltar à minha cor natural (anteriormente tinha-o pintado de vermelho acastanhado) e foi um grande fail - agora sou morena com reflexos vermelhos que tão depressa não saem mas gosto da cor "natural" com que estou agora. Nunca ninguém diria que eu alguma vez pintei o cabelo.

Agora, sete meses mais tarde, ele já me chega às clavículas e já consigo fazer uma trança pequena com ele. Eu prometi que não ia fazer nada com ele até Junho deste ano. Mas isto de mudar o cabelo para mim é como um vício do qual é difícil ver-me livre - porque não tenho paciência para o deixar crescer e porque ele fica muito sem vida durante o processo.

Fica aborrecido! E eu já tenho aborrecimento que chegue na minha vida! E depois, como se não bastasse, vejo coisas destas pela Internet fora e a vontade de ir à tesoura, perder a cabeça e deixar todos de queixo caído mais uma vez, é mais do que muita!

 

 

 

 

Sou daquelas gajas que gostava de voltar a ter o cabelo comprido mas que não tem a paciência devida para o deixar crescer.

Mas eu fiz uma promessa - e até me disseram que eu não era capaz. Isso só faz com que eu queira ainda mais ser capaz mas...ai!

Meninas out there, vocês percebem-me, certo?

 

 

20
Nov14

Há coisas que me ultrapassam #16

alex

Hoje venho-vos falar de cabelo. Não, não é do meu. É o do rapaz que vi ontem no metro.

Ora não me interpretem mal - não fiquei apaixonada pelo moço nem nada que se pareça. Agora pelo cabelo dele...isso já é outra história. Quando o vi de costas pensei que era uma menina - muito escanzelada, mas uma menina. Quando lhe vi a cara e o bigodinho loiro (alguém lhe devia dizer para usar a gilete com mais frequência...) fiquei vermelha - de raiva.

Como é que um rapaz tem um cabelo daqueles? Um cabelo comprido, loiro mel, cachos perfeitos a caírem-lhe sobre os ombros, brilhante e com um aspecto simplesmente DIVINAL?

Aposto que se lhe passasse os dedos seria como tocar em seda.

E fiquei com inveja do moço. Ainda ponderei perguntar-lhe que tipo de champô ele usa, mas depois achei melhor não visto estarmos no metro com outras pessoas e ele pôr-se a gritar ali no meio "TARADA MALUCA" ou algo do género.

Por isso fiquei sentadinha no meu lugar a contemplar o cabelo do rapaz e a desejar que o meu fosse assim tão brilhante, com cachos tão perfeitinhos e naturais como os dele.

Já tinha visto vários rapazes com cabelo comprido, inclusive mais comprido do que o meu (antes de eu o cortar há um ano atrás) mas o do metro ganhou-lhes a todos!

Assim como não percebo o porquê dos homens terem (quase) todos pestanas naturalmente longas e espessas (e agora falo mais pelas mulheres que se queixam disto e não por mim visto que até nem tenho razões de queixa no que toca às minhas pestanas) também não percebo como é que há homens que têm um cabelo tão bonito como o do rapaz do metro.

Se o voltar a ver hei-de perguntar-lhe qual é o segredo dele.

Há coisas que realmente me ultrapassam.... o cabelo esplêndido do rapaz do metro é uma delas!

04
Jun14

Curto e bom!

alex

Existe um grande problema nesta nossa sociedade: mulheres só com cabelos longos e comprimidos. Só elas é que são sexy's, só elas é que são bonitas, só elas é que são o centro das atenções, só elas é que podem fazer aquele movimento sexy com os seus longos cabelos, que eu tentava fazer quando o tinha comprido e acabava era a comer cabelos. Enfim...  as mulheres com cabelo curto são as ovelhas negras da família, digamos assim.

É verdade que agora até anda aí uma moda de cortes de cabelo pixie ou bob's e coisas que tais. Mas são poucas as mulheres que realmente o fazem e tão poucos os homens que realmente gostam de os ver nas mulheres...

Mas eu percebo este fascinio com cabelos compridos; eu próprio o tinha. Ainda não há muito tempo, se calhar para aí à um ano, eu só queria era que o meu cabelo crescesse e raios que ele não crescia mais, ou assim me parecia. Depois, já não me lembro bem como ou porquê, decidi cortá-lo. Foi assim daquelas minhas decisões impulsivas, as quais tomo sem tentar ponderar muito sobre elas, visto que essa acção me causa comichão e nervos à flor da pele. Então lá cortei. A primeira vez gostei, a segunda não tanto, a terceira adorei e hoje estou careca.

Não, estou a brincar, careca não estou, mas desta vez cortei-o bem mais curto do que alguma vez já o tive (sem contar com aquela minha maravilhosa fase em que decidi, no 7º ano e persuadida pela senhora dona minha mãe, cortá-lo estilo bob. Grande erro. )

Não sei se desta vez também não me estiquei um bocado (ah, perceberam? Eu estiquei-me mas o cabelo encolheu) e não fiz asneira. Ou melhor, se não deixei a cabeleireira fazer asneira. A prova de fogo é amanhã. Mas de qualquer das formas, tão depressa não volto a ter o cabelo pela cintura.

Gosto dele assim, pequeno, prático, leve. Basta pôr-lhe uma espuma ou um creme de pentear e fico com aquele estilo messy e encaracolado e então agora para o Verão, a melhor coisa que há é ter o cabelo curto.

Com o passar do tempo, estou cada vez mais com vontade de me afastar da minha imagem de adolescente de secundário. Com o passar do tempo, quero cada vez mais tornar-me na pessoa que realmente sou por dentro e mostrá-lo por fora: uma pessoa prática, descomprimida, que não tem medo de correr riscos e cortar o cabelo pelas orelhas.

Quero lá saber se os rapazes não gostam ou me passam a achar mais feia. Quero lá saber que as pessoas, na sua maioria, pensem que sou maluca. Eu sou maluca. Uma maluca de cabelo curto. 

Eu não consigo entender de onde vem todo este alarido com as mulheres e os cabelos compridos/curtos. Eu acho que o mais importante é a pessoa sentir-se bem consigo mesma e não fazer nada (e agora abrangendo outras coisas para além do cabelo) só porque os outros gostam mais assim ou mais assado. O que interessa, ao fim do dia, é o que nós gostamos, o que nós queremos, o que nós decidimos e como nos sentimos com essas decisões e com os seus resultados.

O resto é tudo barulho de fundo.

E fiquem sabendo que, uma mulher de cabelo curto consegue ser tão ou mais sexy e bonita do que uma mulher com o cabelo até ao rabo.

Tenho dito.

13
Mar13

Never again

alex

Aqui fica uma pequena amostra da "visita de estudo" que tive hoje, que durou cerca de 3 horas e que não serviu senão para nos ensinar aquilo que todos nós já sabíamos: o frio não é psicológico porra!

Pensei (e não fui a única) que ia morrer congelada. Contudo, se não morrese congelada, provavelmente acabava por cair num dos buracos existentes ao longo do caminho, morrendo na mesma. Não sei como, consegui chegar intacta, apenas com um ninho de ratos na cabeça e o meu já tão habitual (mas ainda pior) nariz de palhaço. E não, não fomos à torre da Serra da Estrela. Mais valia!

Os quatro euros mais mal gastos da minha vida...

 

Don't mind my face...o vento que fazia (e o frio, apesar de esse não ser perceptível)
era o que eu queria mostrar com este pequeno vídeo...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D