Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

10
Ago14

Os Inevitáveis

alex

Há coisas que não se conseguem evitar. 

Naquele dia, quando me ligaram do hospital, pensei que o mundo tinha ruido. E a verdade é que o meu mundo ruiu. Aprender a viver num mundo sem ti foi a coisa mais difícil que fiz em toda a minha vida. Lembro-me de sair de casa de pijama - uma t-shirt cinzenta velha, tua, e umas calças de pijama pretas com gatos espalhados por todo o lado. Pantufas nos pés, cabelo no ar e lágrimas nos olhos. Coração apertado, ar a menos, desespero a mais. Empurrei as portas do hospital com as poucas forças que tinha naquele momento e corri para o balcão de atendimento. Dei cotoveladas em tudo o que se mexia e quando cheguei à frente da senhora do balcão, quase esmaguei a minha cara contra o vidro que a separava de mim. Perguntei por ti com a voz rouca - as lágrimas já nem as sentia, de tão parte do meu rosto que já eram. A senhora olhou para mim com um olhar repleto de pena mas eu pouco ou nada me importei - a mulher não me soube dizer nada sobre ti. Se estavas vivo, morto, a dormir, acordado...e eu passei-me. Bati no vidro com a mão fechada em punho e gritei-lhe o teu nome e ela, sobressaltada, lá procurou de novo no computador e finalmente, disse-me que estavas a ser operado naquele preciso momento. Pediu-me também para eu a seguir.

Levantou-se e saiu da sala de atendimento e eu, passando uma mão pelo meu cabelo já por si desgrenhado, segui-a em direcção a uma pequena sala onde havia uma secretária com um monte de papéis espalhados nela, duas cadeiras e um senhor com ar muito cansado, o cabelo grisalho e a habitual bata branca de médico.

Não me sentei como ela me mandou. Só queria ver-te, saber como estavas e eles queriam que eu me sentasse. Vão gozar com outra, lembro-me de ter pensado isso. O médico pediu para eu me acalmar - trouxeram-me um copo de àgua e eu recusei. Só queria saber de ti, não parava de perguntar por ti. Disse o teu nome naquela noite mais vezes do que as que já disse desde o dia em que nos conhecemos até agora.

Eu não conseguia estar quieta. Andei para trás e para a frente naquele escritório até o doutro me expulsar de lá - acho que lhe gastei o chão e ele não gostou. Depois foram os corredores. Acho que naquela noite perdi uns vinte quilos só a andar de um lado para o outro naqueles longos e desertos corredores. Passaram-se horas e eu julguei estar a morrer aos bocados, minuto após minuto, sem saber de uma única notícia do teu estado. Por mim passavam enfermeiras e médicos sem uma única palavra me dizerem e eu só queria matá-los a todos com as minhas próprias mãos. Contudo, ao fim de oito horas, já eu estava sentada no corredor, encostada à parede de olhos fixos na cadeira à minha frente, senti uma mão tocar-me ao de leve no ombro e desviei o meu olhar vazio para encontrar o olhar de uma bonita jovem de bata azul agachada ao pé de mim.

"É a Millie Foster?"

Não lhe respondi. Já não sabia quem era. Millie Foster? Quem era essa gaja? Certamente que não era a jovem de olhar perdido sentada no corredor de um hospital cujos funcionários eram uns incompetentes do raio.

"É a namorada do Nate Baxter?"

"Nate!" - Foi tudo o que lhe respondi. Ela sorriu brevemente e agarrou a minha mão, tentado puxar-me para cima. Eu deixei e ela guiou-me até um quarto. Foi como se ela estivesse a guiar uma pessoa invisual - eu estava cega pelas lágrimas e pela ânsia de te ver. Ela abriu a porta do quarto e eu consegui distinguir uma cama, uma máquina, uma colectânea de fios e uma pessoa ligada a esses fios, deitada nessa cama, dependente dessa máquina.

Corri e quase cai - a distância entre nós era tão pequena mas naquele momento foi a maior que já percorri até hoje. Sentei-me à beira da cama, a tua mão na minha, e esperei.

Nunca fui boa a esperar e nesse dia tive de enfrentar a maior espera da minha vida. Naquele dia tive de aprender a viver num mundo sem ti, mesmo que tenha sido apenas por umas horas - pareceu-me uma vida inteira.

Finalmente, abriste os olhos e eu fechei os meus - chorei tanto que acho que as enfermeiras quando vieram ver de ti, pensaram que um de nós tinha feito xixi no chão do quarto..

Aquele foi o momento mais feliz da minha vida.

Até hoje.

Hoje, perante todas as pessoas que amamos, digo de coração cheio que este é o momento mais feliz da minha vida. Olhar para ti e sorrir, poder agarrar na tua mão e dizer-te o quanto te amo e ouvir-te dizê-lo também - não o quanto te amas, mas o quanto me amas a mim. Desde esse dia que acredito que há coisas que não se conseguem evitar. Os acidentes são uma parte dessas coisas e o teu quase te levou de mim. Mas acredito que a nossa união e o nosso felizes para sempre é muito mais inevitável do que aquele acidente o foi - e por isso hoje estás aqui perante mim e perante todos os nossos entes queridos.

Há coisas que não se conseguem evitar... E nós somos inevitáveis.

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D