Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

02
Out14

A prova de que eu não sou normal #2

alex

Anteontem fui aqui ao Espaço Casa perto de minha casa para ir comprar materiais de pintura, para começar a trabalhar na prenda do meu pai que para a semana completa 50 anos. 

Mas não é sobre isso que vou escrever. É sobre o rapaz que lá andava e pelo qual eu fiquei encantada. Digamos que eu tenho uma valente tendência para gostar de homens assim, mais velhos que eu - não gosto de avôs, atenção!

O rapaz tinha tudo para se olhar para ele e pensar: ora ali está um bom pedaço de mau caminho... Casaco de cabedal, jeans, All Star e uma barbinha de dois dias encantadora. Mas a primeira coisa que eu reparei nele não foi, de todo, no seu aspecto. Foi no seu cheiro. Estava eu á procura de tintas de óleo na secção das pinturas, quando me chegou um cheiro simplesmente divinal ao nariz. Feita anormal até inspirei com mais força para absorver aquele cheiro tão agradável. E o rapaz passou por mim nesse mesmo instante, quando eu estava a absorver o ar todo à nossa volta qual maníaca. Eu vi-o a esconder um sorriso - obrigada lentes de contacto por agora me permitirem ver um palmo à frente da cara sem precisar de usar os óculos - e lá continuou o seu caminho.

Eu confesso que não tenho problema em parecer maluca; em dar essa impressão. Porque é o que eu sou - eu sou maluca, de forma saudável. Mas naquele dia o saudável passou-me ao lado e eu estiquei a corda.

Andei a seguir o rasto do perfume do rapaz até ele ter ido para a caixa. Quando lá cheguei, para pagar a tela, as tintas e os pincéis, ele ainda lá estava, olhou para mim com um sorriso nos lábios que dizia: eu sei que me andaste a snifar pela loja fora!

Querem saber o que aconteceu a seguir?

Espirrei-lhe para cima.

Pelos vistos, depois de tanto snifar o perfume do rapaz, acabei por criar uma espécie de alergia ao raio do perfume. Ele riu-se, eu pedi desculpa, paguei as minhas coisas e sai de lá a voar. Segundos depois ele passa por mim na sua bruta Honda VFR (mota) e diz-me adeus.

Os meus pensamentos naquele momento foram:

1º- QUE COISA LINDA MEU DEUS!

2º - Quem me dera ter dinheiro para poder comprar aquela coisa linda, meu deus!

3º - A coisa linda é a mota.

4º - Gostei mais da mota do que do facto de ele me ter acenado (mesmo depois de eu lhe ter espirrado para cima).

A prova de que eu não sou normal 2.0!

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D