Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

27
Mai13

They don't know about us

alex

Aviso:

Este post vai ser sobre o dia de ontem, o qual foi passado à porta do pavilhão atlântico, com o propósito de ver o concerto dos One Direction.

Quem quiser parar de ler aqui, devido ao contéudo do post, é favor de fazê-lo.

Quem não o fizer, nada de julgar o livro pela capa, ler o post até ao fim e depois então fazer os seus julgamentos à vontade.

Obrigada.

 

Pronto, agora num tom mais leve...

O dia de ontem foi exaustivo. Levantei-me eram 7h30m da manhã e estava no Oriente às 9h30m. Fui ter com a C. e a irmã dela.

Há meses que tinha o bilhete, guardado no meu cofre do dinheiro. 

Não, não sou uma "pita" histérica que foi para lá chorar desalmadamente por eles.

Como quem lê o blog regularmente sabe, eu sou uma rapariga com gostos muito diversificados. Hoje posso passar o dia todo a ouvir Maroon 5, Imagine Dragon, Bon Jovi, até Beatles, dos quais gosto muito! Amanhã posso estar mais no mood de Vampire Weekend, Pearl Jam ou Queen. Depois de amanhã pode apetecer-me ouvir Bruno Mars, Taylor Swift, Katy Perry, Pink, Rhianna ou até os One Direction.

Sou fã deles sim senhora.

Não apenas porque têm umas carinhas larocas, ou porque têm músicas lamechas que, a nós raparigas, nos acertam em cheio no coração.

Adoro tudo o que seja concursos de canto, como ambos os X-Factor, American Idol, The Voice...e quando, há quase 4 anos atrás andava eu a ver o X-Factor british, me deparei com os cinco rapazes mais simpáticos e normais no mundo, o meu coração rendeu-se.

E foi assim que me tornei fã dos que viriam a ser os One Direction.

Acompanhei-os ao longo de toda a sua participação no programa e sinto que cresci com eles. Acompanhei a sua transformação de 5 individuos para um só e único ser. 3 anos mais tarde, 25 milhões de singles vendidos em todo o mundo, 10 milhões de álbuns vendidos, vários prémios arrecadados e milhões de fãs, os One Direction continuam a ser apenas aquele grupo de british boys, que prezam acima de tudo a sua amizade, a família e a integridade.

Não andei lá a chorar nem aos berros feita maluquinha. Mas soube-me pela vida ver um concerto de um grupo que sigo desde o ínicio. Se já fui gozada? Já pois. Os One Direction são uma merda na boca de muita gente. Bom, o Quim Barreiros também o é na minha, e há quem lhe ache graça.

Gostos não se discutem e como eu já disse, tenho muitos e variados. Eu amo música na sua generalidade. Dificilmente desgosto de uma música, excepto aquele género em que é só mesmo ruído e não se percebe nada do que o vocalista canta. Mas lá está, há quem goste desse género de musica. Sinceramente, quem sou eu para criticar? No entanto, houve muito falatório e julgamento por parte de pessoas minhas conhecidas (e amigas até) em relação à minha escolha em ir ver One Direction. Mas avançando...

Adorei. Estive com ótimas amigas, conheci novas pessoas, comi um McFlurry de M&M'S que já não comia há séculos e que me soube pela vida, ri, brinquei, corri, andei, apanhei um escaldão nos ombros e fiquei ligeiramente bronzeada nas pernas.

Já dentro do pavilhão e depois da actuação de Camyrn, ri, gritei, dancei que nem uma louca, pulei, gravei as músicas mais importantes para mim e acima de tudo, diverti-me e risquei mais uma coisa da minha lista. Os rapazes estiveram à altura e preencheram as minhas expectativas. Sempre brincalhões, sorridentes e simpáticos para com as fãs, a união e amizade entre aqueles 5 rapazes foi mais que evidente naquele palco.

É certo que hoje quando acordei, o meu estômago estava chateado comigo pela forma como comi ontem (ou pelo que comi, digamos assim) e vomitei as tripas. Resultado: hoje fiquei em casa, com uma dor insuportável nos ombros, nas pernas, no estômago, na garganta, mas com um sorriso enorme na cara e um coração preenchido.

Gozem à vontade. Mas que sou uma rapariga mais feliz que vocês porque aproveito as coisas boas da vida, sem medo do que os outros possam pensar ou dizer, em vez de andar a julgar as escolhas e gostos pessoais dos outros, ai isso posso dizer de boca cheia que sou!

E amanhã é voltar à realidade que estas últimas duas semanas que ainda me restam vão doer a sério...

E em Novembro, lá estarei novamente no pavilhão atlântico para ver mais um dos meus muitos ídolos: o Bruno Mars.

 

 

 

Um dia e noite que ficarão para sempre guardados na minha memória, sem dúvida.

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D