Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

29
Abr13

Today it was a good day

alex

É bom quando o nosso esforço e empenho são reconhecidos. 

Sou uma perfeccionista. Quando mergulho de cabeça em algo, seja um trabalho escolar ou um outro projecto qualquer, tem de estar tudo conforme a minha visão de perfeição.

Como tal, não sou boa a trabalhar em grupo, confesso. Sou demasiado mandona e tenho tendência a encarregar-me de quase todo o trabalho. Sou eu que delego as funções, que dou grande parte das ideias, que no fundo, é a base e toda a estrutura de um trabalho. 

Contudo, com tempo e empenho, tenho tentado não ser tão...demasiado perfeccionista e mais colaborativa.

Posso dizer que tenho sido bem sucedida e hoje, foi a prova disso.

Este período as apresentações orais a português são todas em grupos de duas pessoas. Fiquei com o P., um grande amigo meu já aqui antes mencionado, e no inicio fiquei um pouco apreensiva. Mas ele ajudou e bastante. Empenhámos-nos os dois na apresentação, preparámos um power point informativo mas ao mesmo tempo, interessante e fizemos até um vídeo, onde eu encarnei a personagem de João da Ega e fui entrevistada pelo P. Toda a turma adorou o trabalho, e a professora gostou tanto que diz que vai mostrar o vídeo aos outros professores.

Tivemos um Muito Bom. O que no final do período deve-nos valer um sólido 18 ou 19.

É em alturas como estes que me orgulho de ser quem sou.

Perfeccionista, empenhada e sim...por vezes demasiado exigente comigo própria. Mas apenas porque sei que tenho as capacidades necessárias para fazer melhor do que tenho vindo a fazer.

Estou feliz também pelo P. que trabalhou muito bem comigo e que levantou a sua nota na apresentação oral, em relação ao período passado.

Estou orgulhosa de nós, do nosso trabalho, do nosso empenho.

E nem as bocas foleiras que alguns elementos da turma mandaram me tiraram o sorriso da cara.

Porque esses, o que fizeram? Foram ao google e tiraram de lá um trabalho já feito. Decoraram-no e apresentaram-no à turma. E mal. A professora apercebeu-se e deu-lhes negativa.

E agora pergunto-me: não é isto pura inveja? É pois.

Mas então, se queriam ter uma nota como a nossa, se queriam ser reconhecidos pela professora, se queriam ser bem sucedidos, porque é que não se empenharam e trabalharam? Porque é que em vez de tomarem como deles, algo que era de outra pessoa, não perderam mais do que dois minutos das suas preciosas vidas (onde a única preocupação é a que horas têm de estar no café) e fizeram um trabalho de que se pudessem orgulhar?

Porque eu orgulho-me do que fiz em conjunto com o P. Podíamos até ter tirado uma nota pior, mas ao menos ficaria de consciência tranquila porque sabia que tinha posto a minha alma e coração no trabalho. Sabia que tinha sujado as mãos e feito algo a que posso agora chamar "meu".

Porque sei que, sem esforço, não se vai a lado nenhum. Umas vezes compensa, outras nem tanto. Mas não devemos deixar de tentar ou até, nunca tentar. Porque todos nós podemos, se quisermos, conseguimos. Também as pessoas que perderam tempo a "gozar" com o nosso trabalho, poderiam invés disso ter perdido tempo a fazer um trabalho seu e de jeito, e de certeza que conseguiriam tirar boa nota.

Mas apenas a nós nos cabe a escolha. A escolha de nos empenharmos e fazermos algo de que, mais tarde, nos vamos poder orgulhar, ou escolher não fazer nada; ficar de braços cruzados e ainda assim julgarem-se no direito de criticar negativamente o trabalho dos outros.

Mas enfim...o sorriso da minha cara não me o tiram. Pelo menos por hoje.

Porque depois da apresentação ter corrido bem, porque depois de termos tido uma nota tão boa, vim para casa, fiz um almoço saudável e tive uma tarde bastante produtiva a estudar para o teste de história na sexta.

Hoje foi um bom dia.

Amanhã...só o tempo o dirá.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D