Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

29
Jun15

How long


alex

 

Coisas que se descobrem nas noites em que não se consegue pregar olho por estar a pensar demasiado - sobre o mês que vem, sobre o quanto a minha vida vai mudar, sobre tudo.

Ás vezes não conseguir dormir não é assim uma coisa tão má.

 

28
Jun15

O amor fez-me assim


alex

Pergunto-me quando é que vai parar de me incomodar.

É por estas e por outras que preferimos permanecer na ignorância. A ignorância não faz doer. O que os olhos não vêm, o coração não sente. O meu não sente, há muito tempo...mas basta uma fotografia, basta um encontro entre amigos para eu dar por mim a desejar ser cega.

É de loucos. É de loucos depois de tantos anos, depois de tanta coisa ter mudado e de tanta coisa que ainda vai mudar, haver esta única coisa que não muda.

A forma como tudo deixa de fazer sentido ao vê-lo sorrir sem mim. É nesta alturas que me apercebo que não são tão boa pessoa quanto me acho. Dou por mim a desejar que o sorriso dele não seja tão verdadeiro - que seja mais fingido e forçado, como o meu.

Dou por mim a desejar que os papéis tivessem sido revertidos - que tivesse sido eu a encontrar quem me fizesse sorrir daquele maneira depois dele, e que fosse eu a mostrá-lo ao mundo sem medo de me chamarem gabarolas.

Sou má e vivo bem com isso. Não vivo bem é a roubarem-me a minha ignorância. Deixem-me ser ignorante no que toca a ele, à vida dele, à relação dele.

Deixem-me ser cega. Talvez quando já estiver longe, demasiado ocupada a construir a minha nova vida, já não me incomode.

Mas até hoje, incomoda. Não consigo negar. É como uma comichão que não conseguimos coçar. Como uma constipação que não conseguimos curar. Como uma dor no músculo que não se cura com massagens ou cremes.

Ainda bem que me vou embora, dei por mim a pensar quando vi o que não queria.

Um dia, hei-de ser eu a mostrar o meu sorriso maior que a minha cara e ele a desejar ser cego. Ou pelo menos a desejar não ter feito o que me fez. O que nos fez.

Ou pelo menos a desejar que eu possa ser feliz, por fim. 

Sou má. Sou egoísta. Tenho inveja. Eu sei. Mas o (este) amor fez-me assim.

27
Jun15

Aqueles momentos "awkward"


alex

Sejamos francos: é sempre awkward quando estamos a ver um filme ou uma série com outras pessoas e surgem cenas explicitas de sexo. A não ser que essa pessoa seja a vossa companheira/companheiro (e acho que até nessa situação pode ser desconfortável).

Ontem comecei a ver uma série por recomendação do P. e depois de almoçar, fomos para casa dele ver uns episódios. A série chama-se Sense8 e é bastante interessante - mesmo ao meu gosto, uma série de acção/thriller psicológico. Até agora estou a adorar, mas a questão não é essa.

A série contém algumas cenas bem explícitas de sexo, tanto sexo heterosexual como homosexual. Ora, eu não sou propriamente contra séries que possam conter cenas do género, até porque vi True Blood e Game Of Thrones e lá para o meio também haviam determinadas cenas dessas. No entanto, acho que é sempre diferente quando vemos esse tipo de cenas acompanhados.

O ambiente muda logo. Parece que paira no ar aquele desconforto invisível, que não se vê, mas que se sente e dá comichão. Não sabemos se havemos de ficar calados ou se devemos comentar e brincar com a situação (que foi o que nós acabámos por fazer.)

Acho que por muito confortável que seja a nossa relação com um determinado amigo ou amiga, é sempre awkward, não? E quando estamos a ver um filme ou série com os pais e essas cenas surgem então, nem se fala, meu deus! Ainda é pior!

No entanto, é uma coisa natural, o sexo. A mim não me faz confusão nenhuma ver cenas explícitas em séries ou filmes, desde que não sejam exageradas ou nojentas. Para isso existem os filmes pornográficos, que eu dispenso muito obrigada.

É verdade que na série em questão (Sense8) não faz muito sentido para o desenrolar da história em si, mas penso que é uma demonstração de uma parte das vidas de qualquer ser adulto, daí incluírem as ditas cenas na série.

Eu penso que o porquê de nos sentirmos sempre desconfortáveis ao ver esse tipo de cenas na televisão com outras pessoas ao pé de nós, é porque é um acto que, no geral, todos vemos como sendo um acto intimo entre duas pessoas. Até quando são apenas meras cenas onde se trocam carícias ou beijos, pode ser desconfortável se estivermos a vê-las com os nossos pais ou amigos. São actos que demonstram amor, por vezes luxúria, desejo e esse tipo de emoções são muito fortes.

Vimos uns quatro episódios de seguida e quando surgiam as cenas de sexo, simplesmente víamos em silêncio ou então comentávamos entre nós isto mesmo - como este tipo de situação pode ser extremamente desconfortável se estivermos com outras pessoas ao pé de nós.

Mas não deixou de ser um daqueles momentos awkward na nossa longa amizade. Para recordar (risos).

24
Jun15

Simplicidade especial


alex

Ando feita uma preguiçosa que nem vos conto. 

Hoje passei o dia na cama, a ver séries, a ler, a pintar.... está certo que ontem fui passear mas hoje senti-me uma autêntica preguiça!

A roupa está toda por arrumar aqui no sofá... O pó também já se limpava e o chão também já se lavava.

Mas ando a aproveitar estes dias de descanso o melhor que posso, enquanto cá estou, porque daqui a umas semanas vai ser o caos e assim que pousar em Inglaterra, acho que não vou ter nem tempo para respirar.

Acho que é por isso que os meus pais também já nem comentam a minha preguicite de ultimamente.

Eles sabem que em breve isto tudo vai acabar e estão a deixar-me desfrutar cada bocadinho.

Já me perguntaram se eu não tenho nada de especial que queira fazer durante este mês de Julho enquanto cá estou, como forma de me despedir do meu mundo.

Mas sinceramente, não preciso de nada em especial. Bastam-me dias como o de hoje em que estive o dia todo em casa a fazer as minhas coisinhas, sem nenhuma preocupação, ou dias como o de ontem em que passeei por Lisboa com uma amiga, como já fiz tantas outras vezes.

Só preciso de comer muito Bacalhau à Brás da avô materna e muita Massada de Camarão da avô paterna, antes de ir.

Só preciso de estar com os meus amigos, seja apenas passear aqui pela nossa pacata cidade, ou ir às compras com uma amiga em Lisboa, ou comer um gelado enquanto caminho pelas ruas que já devem ter as minhas pegadas no seu chão, de tanta vez que lá passo.

Tudo o que tiver para fazer de especial, faço-o quando vier visitar. 

E se formos a ver bem, pelo menos para mim, as coisas mais simples como as que tenho estado a fazer são as mais especiais para mim.

É nas coisas simples que encontramos as coisas mais especiais e importantes para nós.

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D