Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

04
Dez13

Custou mas veio!

alex

Este ano custou-me a entrar no espírito natalício. Normalmente, todos os anos, ainda estamos a meio de Novembro e já ando eu toda feliz a planear o que comprar para oferecer, a cantarolar músicas de natal e a fazer a contagem decrescente para o grande dia.

Este ano, não sei bem ao certo porquê, não consegui entrar no espírito até agora. Ainda não decorámos a casa e ainda não pusemos a nossa árvore no sítio dela, junto à lareira, toda ela luminosa e bonita. Ainda não tenho ideia do que vou oferecer aos meus pais e irmã e se vou oferecer alguma coisa aos meus amigos mais chegados. Não faço a mínima ideia do que quero para mim. Resumidamente, este ano ainda não tive muito tempo para pensar no Natal. Desde que começaram as aulas a minha vida tem sido uma correria. Passei, praticamente, a desempenhar o papel de mãe cá em casa (calma que não me morreu ninguém!), houve uns quantos assuntos familiares e pessoais que me deixaram triste e abatida e o meu último ano escolar revelou-se bastante mais trabalhoso e complicado do que eu estava à espera. Por isso, o Natal não tem estado muito nos meus pensamentos. Mas agora que já toda a gente à minha volta faz questão de cantarolar músicas de Natal e de começar a falar intensamente sobre isso e a colocar fotos no Instagram das suas árvores todas decoradas, o espírito natalício invadiu-me, finalmente.

Tenho ouvido e cantado mais músicas de Natal do que aquelas que existem, já ando a pensar no que oferecer aos meus pais e irmã e, este ano, ao meu amigo secreto, uma brincadeira que estamos a fazer entre nós amigos, em que tirámos ao calhas um nome de um monte de papeis com todos os nossos nomes e é a essa pessoa que temos de oferecer uma prenda barata e original. Já ando a chatear os meus pais para irmos à arrecadação buscar a árvore e todas as coisas de natal e já estou motivada, apesar de o natal para mim já não ter a mesma magia que tinha à uns anos atrás...

Isto tudo para dizer que adoro o Natal. Adoro as decorações, o tempo frio que se faz sentir, as canções tão típicas desta época, o facto de ficarmos todos (a maioria) mais solidários, mais condescendentes, mais simpáticos e sorridentes, adoro a típica comida de natal como o bacalhau, as verduras, as rabanadas, as filhoses, a mousse de chocolate e os frutos secos. Adoro passar esta altura do ano com a minha família e com os meus amigos, adoro estar de férias durante 2 semanas e meia, adoro toda esta época. 

O Natal é a altura mágica do ano (dizem).

Pena é não acreditar em milagres...mas isso já é outra conversa!

03
Dez13

Sou assim...

alex

Quem me conhece sabe que eu consigo ser um pouco dura com a forma como me expresso e que sou demasiado frontal. Digo muitas vezes o que penso sem pensar nisso. Ou seja, digo a primeira coisa que me vem à cabeça, o que nunca soa bem para quem ouve.

Não consigo guardar as minhas opiniões para mim. Não consigo calar-me quando me dão corda. Fico a matutar nos assuntos durante horas se não os desenvolvo com a pessoa em questão, se não me fizer ouvir.

Sou teimosa e de ideias fixas; ah se sou! Não me contenho com as palavras.

E às vezes digo o que sinto ou penso com um sorriso maroto na cara, que muitos dizem ser presunçoso, e isso nunca me corre bem.

Talvez seja essa uma das razões pela qual eu não tenho muitos amigos a sério (tenho um grupo razoável de amigos, grande o suficiente para fazermos aquela brincadeira do "Amigo Secreto" agora pelo natal, mas amigos daqueles a quem contamos a nossa vida toda de trás para a frente e vice-versa, são poucos). Eu sei que sou uma pessoa díficil de se lidar, tenho perfeita noção disso. Sou "lixada" como hoje me chamaram e sei-o. Mas sou assim. 

Intempestiva, desbocada, frontal e muitas vezes, mázinha.

Digo o que tenho a dizer e muitas vezes as pessoas não gostam. Mas o problema não é o que eu digo, mas sim a forma como o digo. Às vezes sai-me uns comentários demasiado frontais e tenho de aprender a controlar esta minha veia de desbocada. Tenho de aprender a expressar-me de uma maneira diferente ou de aprender a ficar calada. Mas até lá vai acontecer o que aconteceu hoje: eu digo o que me vem à cabeça e a pessoa fica ofendida, discutimos e acabamos as duas a deitar fumo das orelhas sem necessidade nenhuma disso. Mas ao menos sei reconhecer os meus defeitos, quando erro e sei pedir desculpa.

Ao menos isso.

 

Tell them all...

01
Dez13

A Vida tem pernas longas...

alex

Nada como receber o mês de Decembro de braços abertos, como passar esta manhã a limpar o quarto ao som do novo cd de natal da Kelly Clarkson. 

Decembro é o mês.

É o último mês do ano, o mês do natal, da magia, do frio que nos percorre a espinha e que nos deixa congelados, das músicas alegres e que nos transmitem aquela mensagem especial e típica do natal, o mês do Ano Novo, o mês em que ficamos mais lamechas, mais conscientes de todos os que vivem à nossa volta, o mês em que pomos para trás das costas mais um ano e dizemos olá, com uma voz esperançosa, a um novo.

É um dos meus meses favoritos, não vou mentir.

Não só pelo natal, pela festa, pela boa comida, pela família...mas porque nesta altura do ano, ficamos todos um bocadinho mais humanos.

A maioria deixa de olhar tanto para o seu umbigo e começa a ver. A ver tudo.

E começa a ajudar. É verdade que deveria ser assim durante o ano todo, mas por alguma razão, esta altura do ano relembra-nos o quão importante é dar e receber.

Decembro é o mês em que tudo acontece.

E daqui a nada estamos em Janeiro de 2014 e é ver-me a chorar baba e ranho porque apercebo-me de que não estou a conseguir acompanhar a passada larga da Vida e que esta passa por mim a correr, deitando-me a lingua de fora e dizendo-me:

"É melhor acompanhares-me ou quando deres por isso eu já vou estar com uma margem de avanço tão grande, que nunca me alcançarás."

E é assim. O mês de Decembro a mim faz-me isto ( e o facto de o Paul Walker (conhecido pelos filmes velocidade furiosa) ter morrido, ironicamente, num acidente de carro, também).

Põe-me a pensar em como a Vida tem umas pernas longas, tão longas que por vezes nos impedem, a muitos de nós, de a acompanhar na sua corrida.

Por isso toca a não desperdiçar as pernas que vos deram, sejam elas pequenas, longas, finas ou gordas.

Corram. 

Corram muito e não parem.

Porque a Vida não pára e não espera por ninguém.

Bem-vindo sejas óh Decembro!

 

hello december | via Tumblr

Pág. 6/6

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D