Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

21
Fev13

Nunca me viste chateada...

alex

Neste momento deves estar a fazer as malas. A retirar toda a tua roupa de verão das últimas gavetas da cómoda, à procura dos chinelos, a reunir o protector solar, os óculos de sol. Deves estar com um sorriso de orelha a orelha, o coração ao saltos de tanta ansiedade; de bom humor.

E eu estou aqui, eternamente, à espera que me respondas. Finalmente abri-me contigo e tu fechaste-te em copas e decidis-te ir de férias para outro continente. Finalmente depositei em ti toda a minha confiança e, parece-me a mim, estás a trai-la. Custa muito responderes? Pousares a mala, agarrares no telemóvel e responderes à minha muito frustrada e chateada pessoa?

Eu sei que estás todo feliz em ir para o Brasil, apanhar sol, ver umas brasileiras jeitosas passar por ti a toda a hora, beber muitas caipirinhas e dançar um sambazinho, mas no entretanto, fico aqui eu com o coração nas mãos, a pensar em mil e um cenários.

E acredita, nenhum deles é bonito...

 

Fe715ed276d111e2a63622000a9e28ec_7_large

Just answer the fucking phone men...

20
Fev13

Vá lá, mais um um...

alex

Obrigada à nobody tavares por me ter passado o desafio. Ora vamos lá a isto!

 

Regras:

Lista com 11 factos sobres nós;

Responder às 11 perguntas que nos atribuíram;

Nomear 11 bloggers com 200 ou menos seguidores,

Colocar o link do blog delas neste post e avisá-las sobre a nomeação;

Fazer 11 novas perguntas às bloggers que nomeei.

 

11 factos sobre mim:

1. Adoro cantar;

2. Pratiquei natação durante 7 anos, desisti à 3 e arrependo-me;

3. Coro facilmente;

4. Adoro viajar;

5. Costumo dizer que o inglês é que é a minha primeira lingua;

6. Não choro com facilidade;

7. Ás vezes falo muito alto;

8. Fico nervosa quando tenho de falar publicamente, mas há quem diga que tenho imenso jeito para a coisa;

10. Gostava de fazer carreira na música;

11. Não consigo sobreviver sem, pelo menos, beber uma chávena de café por dia

 

 

Questões da nobody tavares

 

1. Quais os teus objectivos neste momento?

Neste momento...levantar as minhas notas (e por consequência a média) e conseguir arranjar um trabalho em part-time


2. Como te imaginas daqui a 10 anos?

Num apartamento só meu, com um gato, um trabalho (de preferência na àrea do jornalismo) que me traga felicidade e satisfação


3. Qual é a tua viajem de sonho?

Tenho várias..Londres, Nova Iorque e Hawaii são as três principais


4. Imaginaste a morar num outro país?

Se me imagino? Só todos os dias da minha vida! Adorava morar em Londres durante uns tempos!


5. Qual o último filme que viste?

"O Impossível" e sim, chorei baba e ranho (o que raramente acontece)


6. Acreditas no termo "destino"?

Boa pergunta...sinceramente, não. Penso que, sendo o destino algo que todos dizem já estar destinado, traçado, não acredito nele

porque todos os dias, consoante as nossas acções, o destino muda. Não é algo certo, muito pelo contrário...é algo que está em constante

mudança e como tal, não acredito em nada destinado ou algo do genéro


7. Existe alguma música que descreva o teu estado de espírito neste momento?

Pink- Try 


8. Praia ou piscina?

Praia, sem dúvida


9. Se tivesses mais três dias de vida, o que farias?

Passava os dois primeiros a viajar e o último com as pessoas que mais amo


10. O que é para ti o teu blog, um refúgio?

Sem dúvida que é um refúgio, algo que eu sei que está sempre aqui para quando eu preciso de desabafar, para quando preciso apenas de partilhar algo seja esse algo uma música, uma imagem, uma frase ou um testamento lamechas e profundo. É aquele sítio onde me sinto mais eu; onde me sinto livre para ser eu a 100% e onde encontro pessoas que me compreendem e que, mesmo sem me conhecerem fisicamente, me conhecem talvez melhor do que muitas das pessoas que conheço pessoalmente. É o meu cantinho, sem dúvida


11. Gostaste das perguntas?


Gostei! Gostei tanto que, em vez de inventar outras 11 perguntas, vou apenas deixar estas para quem quiser pegar no desafio e fazê-lo :)

 

Eu sei, eu sei...tenho de passar o desafio a 11 blogs. Mas como gosto de quebrar regras e como não gosto de limitar nada a ninguém, quem quiser fazer o desafio, é livre para o fazer!

18
Fev13

We never know what's behind a person's smile

alex

Hoje a minha aula de português parecia um diluvio. Foi horrível. Uma cambada de adolescentes com demasiadas cicatrizes do passado, a chorarem baba e ranho depois de uma apresentação oral sobre bullying. 

Já falei sobre o assunto aqui. Quem viu esse texto, sabe que eu mesma passei por uma fase menos boa da minha vida, em que sofri de bullying. Daí ter feito parte da cambada de adolescentes chorosos e ranhosos.

Fiquei a saber coisas sobre colegas de turma, pessoas a quem chamo até amigas, que nunca julguei que lhes tivesse acontecido. É aí que entra o título deste post.

Por vezes, não conhecemos tão bem as pessoas como julgamos. Por vezes, há segredos que nunca são revelados. Há muita coisa que as pessoas guardam para si, porque são dolorosas demais para serem partilhadas, independentemente do tempo que tenha passado, desde que aconteceram.

Houve um rapaz em particular na minha turma, que a certa altura, começa a chorar ao contar a sua história. Um rapaz que eu já vi gozar com outras pessoas, quando reunido com os amiguinhos dele. Um rapaz que, apesar de ser sempre simpático e divertido para comigo, sempre me deixou de pé atrás, devido ao referido acima. No entanto, e ao partilhar a sua opinião (que a professora pede sempre a dois ou três alunos no final das apresentações), ele deixa escapar que no 9º ano sofreu bullying. Começa a contar a sua história, com a voz a começar a falhar. A certa altura, dei por mim a partilhar as lágrimas dele, em conjunto com metade da turma. Durante toda a apresentação fiz um esforço enorme para não derramar as destáveis lágrimas. Mesmo depois do visionamento do video da Amanda Todd (alguns talvez conheçam, ou não, mas se quiserem ver, basta procurarem o nome no youtube) eu não derramei uma única lágrima, com muito orgulho meu. E foi durante a sua partilha que eu desatei a chorar que nem uma madalena arrependida. Chorei porque me relacionei com tudo o que ele contou. Falou-nos do porquê de ter sido gozado, espancado, ofendido. Disse-nos que mudou, que já não confia nas pessoas como confiava, que se fechou mais às pessoas e que hoje, se alguém o tentasse calcar como no passado, ele calcaria primeiro.

Chorei porque as palavras dele, eram as mesmas que eu não consegui proferir durante todo este tempo, a alto e bom som. As palavras dele são as minhas, aquelas que eu tantas vezes digo a mim mesma. O porquê de ter mudado, o porquê de não confiar, o não deixar que me derrubem...as suas palavras eram as minhas, tal e qual como as suas lágrimas eram também um espelho das minhas.

Depois, outra pessoa falou. Uma rapariga. Uma colega. Uma pessoa com quem falo todos os dias, com quem partilho piadas e com quem falo sobre coisas da vida...mas acima de tudo, uma pessoa que me era completamente estranha, até hoje. Contou a sua história, por entre lágrimas, e partilhou a sua opinião sobre o assunto.

Depois, como num acesso repentino de coragem, abir a boca, molhada pelas lágrimas salgadas que brotavam dos meus olhos e que não tinham fim. Falei e dei a minha opinião. Com a voz rouca mas audível; toda a tremer, mas confiante de que tinha de falar. E falei.

Ficaram todos a saber. Até ele, o meu melhor amigo, não fazia ideia. Naquele momento soube. Bem como as outras 20 pessoas presentes naquela sala, incluindo a professora. 

Chorei baba e ranho, porque quer queiramos ou não, estas cicatrizes nunca ficarão completamente saradas. É algo com o qual teremos de lidar toda a nossa vida, algo que está e estará para sempre marcado em nós; algo do qual não podemos fugir, do qual não nos podemos esconder. Faz parte da nossa história, faz parte do que fomos. No entanto, não é algo que nos deve impedir de ser o que somos hoje. Se mudámos, foi porque assim tinha de ser. E se somos mais fortes hoje por causa disso? Somos, com toda a certeza.

E só quem passou por tal coisa, sabe e compreende aquilo de que estou a falar. Há coisas que nunca se esquecem e, infelizmente, esta é uma delas.

O passado nem sempre está enterrado...pelo menos não tão fundo quanto nós pensávamos que estava.

Só espero que mais ninguém se lembre de abordar um assunto como este (ou mesmo este) em mais nenhuma aula. Senão, não sei o que vai ser daquela escola...não haveria barcos suficientes para pôr toda aquela gente a navegar no mar de lágrimas que se formaria!

17
Fev13

Hope

alex
Eu sei que tenho andado meia desaparecida ultimamente, mas tenho andado ocupada...com a vida em geral.
No entanto, amanhã, vou dedicar tempo para escrever e para vos responder. Prometo!
As coisas não têm andado fáceis, mas com o tempo, tudo há-se voltar ao sítio...i hope.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D