Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

29
Nov12

finalmente, o espírito natalício


alex

Vou ser completamente sincera: até hoje ainda não me tinha sentido muito natalícia. É verdade que o frio já se faz sentir por aqui e tem estado aquele vento que nos gela as mãos e congela a cara (e todo o restante corpo). É verdade que, onde quer que vá, já há àrvores de natal em pé ou decorações penduradas no tecto. As minhas colegas têm cantarolado algumas canções de natal  e eu, até me tenha juntado a elas, mas ainda não tinha sentido o verdadeiro espirito até há poucas horas atrás. Não sei o que me deu, mas depois de ter chegado a casa e de ter tomado um banho quente, vesti o meu pijama vermelho e branco com renas castanhas. Calcei as minhas meias a condizer e pûs-me no computador a ouvir quantas músicas natalícias encontrava pela frente. Mais tarde, quando os meus pais chegaram a casa, a minha mãe fez o resto da malta vestir os seus pijamas natalícios (o da minha irmã igual ao meu) e todos nós ajudámos a fazer o jantar e a pôr a mesa. Depois, tivemos um agradável jantar em família e pareciamos tirados daqueles anúncios foleiros sobre o natal. Poderia pensar: "Que piroseira, está tudo maluco!", mas não. Porque é isto que adoro no natal, ou neste caso ainda, na época natalícia. Não sei o que se passou, não sei que botão foi ativado em mim, mas estes pequenos actos fizeram-me sentir a tão típica ansiedade e expetativa em relação às férias de natal, que são as minhas favoritas, e em relação ao natal. Posso dizer que estou finalmente pronta para dar as boas-vindas à época natalícia que, aos poucos, se vai instalando entre todos nós. É de facto a minha altura do ano preferida. Não há nada melhor como pijmas quentinhos, uma boa chávena de chá e a família reunida em volta da lareira ou da mesa, apenas a conviver, a rir, a desfrutar da companhia uns dos outros. Não acredito em toda aquela história do nascimento de Jesus, ou ressureição ou que for. O natal não é para mim, uma altura sagrada por algo ligado à religião, pois não me considero religiosa de todo.

Para mim, não há nada mais sagrado do que estes momentos em família. E é isso que a época natalícia e o natal fazem: juntam a família toda, criando um ambiente acolhedor, sereno e onde posso simplesmente, ser eu. Onde posso, nem que seja apenas por um mês, duas semanas ou um dia, sentir-me realmente feliz e de bem com a vida.

 

374386_436831309699062_1898342149_n_large

26
Nov12

momentos de mudança


alex

Estou a ver na SIC o "Momentos de Mudança" e tenho a dizer que estou a adorar. É o primeiro que vejo do principio ao fim e, para além do sotaque adorável do senhor, a sua maneira de pensar é excelente para a situação em que estamos actualmente. Ele não é apenas daqueles que falam, falam e falam e no fim, são dos que nada fazem. Nem pensar! Este senhor trabalha que se desdunha e tem uma empresa há já um ano, com bastante sucesso. Dá também palestras e aulas na universidade, sobre, basicamente, estratégias de marketing inovadoras, sobre como perder o medo de arriscar e tomar a iniciativa, pôr a cabeça a funcionar, arranjando novos projetos que dêm lucro e que façam o país avançar. Apesar de não ser uma área que me desperte muito interesse, não posso deixar de abanar a cabeça a cada palavra que sai da boca daquele homem. Precisamos mais destes no nosso país.

 

26
Nov12

monday


alex

Segunda-feira é sempre o melhor dia da minha semana e a sexta é sempre o pior. Sei que normalmente deveria ser ao contrário, mas como toda eu sou do contra, também nisto o sou. Tenho de acordar cedo, mas depois saio às 12.15h e tenho o resto da tarde livre (para estudar). Por isso e como hoje estou de bom humor, quero apenas desejar uma boa semana a todos... a minha vai ser de loucos, para variar.

 

31982_20120812_093909_life_2_short_large

25
Nov12

50 é muito tempo


alex

Para alguns, o tempo é relativo. Para outros, é algo muito importante. Há quem conte cada minuto, hora, dias, semanas, meses e anos de uma relação. Há quem não ligue nada a isso e limita-se a desfrutar do tempo que já passou, que passa e que irá passar com a pessoa que ama e estima. Mas depois há aqueles casos especiais, em que é impossível não se fazer notar o tempo que já estão juntos. 50 anos é, de facto, uma grande marca. Conviver todos os dias durante 50 anos, com a mesma pessoa, é um enorme feito. Saber amá-la e respeitá-la, apoiá-la e estimá-la durante tanto tempo, não é para todos. Tentar manter não a paixão, não a chama ardente ou a química, mas sim o amor entre dois indivíduos durante tanto tempo, é algo que para mim, seria quase uma missão impossível. Mas de alguma forma, vocês foram capazes. Casaram-se muito novos, ainda mal tinham largado as fraldas. Duas crianças que, no dia 25 de Novembro de 1962 juraram amar-se e respeitar-se para toda a vida. Essa é daquelas promessas que não se quebram de animo leve. Bem sei em como, ao longo de todo este tempo, foram algumas as vezes em que ambos pensaram em fazê-lo. Mas por vocês, por nós, mas essencialmente por vocês, não o fizeram. Continuaram juntos, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até hoje e até que a morte vos separe.
Claro que, não são o casal ideal, ou o casal modelo. Não são, pois discutem todos os dias por coisas infímas. Mas tal deve-se já à idade de ambos e ao tempo que já estão juntos. 50 anos não é pêra doce! Eu não sei se conseguirei tal proeza, mas se conseguir, lembrar-me-ei sempre de vocês. Não pretendo casar-me, não, mas quero alguém que fique do meu lado para sempre. Alguém que me ame, que me respeite, que me apoie, que me faça rir e que me compreenda. Sei que em tempos vocês foram assim um para o outro. Agora é natural que já não seja tanto assim. Mas acredito e sei, que no fundo, vocês ainda se amam e sei que, mesmo não sendo um casal ideal, vocês são um casal. Há já 50 anos. E por isso, parabéns. Eu não aguentava lidar com nenhum dos dois todos os dias durante 50 anos, embora vos ame do fundo do coração. Vocês são ossos duros de roer, tanto um como o outro. E por isso admiro-vos. Porque contra tudo e todos, vocês venceram e hoje, vamos todos sentarmo-nos à mesa e celebrar o vosso feito. Parabéns pelos 50 anos, pelo filho e filha que criaram e pelos quatro netos que ajudaram e ainda ajudam a criar. Parabéns!

Pág. 1/7

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D