Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

Será complicado, mas não impossível

Perguntaram-me se eu não tenho receio de perder os (poucos) amigos que tenho por ir mudar de país. Sinceramente, e não querendo parecer fria ou que não adore os meus amigos do fundo do meu coração, esse é o menor dos meus males.

Mas a questão não é essa. A questão é que, a meu ver, as amizades não se perdem só porque mudamos de país. Às vezes estamos a dez minutos do nosso amigo, vemo-lo todos os dias e ainda assim, a amizade perde-se.

Tem tudo a haver com o tipo de amizades que temos e com o tipo de pessoas que somos. Antigamente, perdi muitas amizades simplesmente porque, gradualmente, nos fomos afastando. Pessoas que na altura, eu julgava serem imprescindíveis na minha vida e que agora, ao olhar para trás com uma mente mais crescida, vejo que tal não era o caso.

Uma pessoa não tem de se falar todos os dias para ser amiga de outra. Não temos de combinar cafés todos os dias ou almoços todos os fins-de-semana. Os amigos são aqueles que guardamos sempre no nosso coração, não na nossa agenda.

É claro que vai ser estranho não puder mandar mensagem ao P. e perguntar se ele quer ir almoçar ou ir dar uma volta. É claro que vai estranho não puder ir passear a Lisboa com a D. É claro que vai, mas a realidade é que nós não podemos andar todos atrelados uns aos outros para o resto das nossas vidas.

As pessoas crescem e cada uma começa a construir o seu caminho individual - é o curso natural da vida. Mas eu acredito piamente que, se temos as pessoas certas no nosso coração, de lá elas não saem assim tão facilmente.

A distância pode ser um grande obstáculo, mas não é por isso que vou esquecer as pessoas que tenho aqui e que sempre me apoiaram, especialmente neste último ano que foi tão difícil para mim. 

Não tenho receio de perder os meus amigos não - primeiro porque eles não são muitos e depois porque eles são bons. Muito bons, aliás. Já passamos por tanto juntos, durante tantos anos, que não há-de ser este factor que vai quebrar isso.

Tudo se consegue com vontade, e eu se hoje estou aqui a dias de partir para começar uma nova vida, é porque tenho vontade para dar e vender - e tal aplica-se também às amizades.

Naturalmente, o tempo vai ser menos, vou estar a acostumar-me a uma nova rotina, vou estar a trabalhar e depois a trabalhar e a estudar.

Mas conseguimos sempre fazer tempo para os que nos são importantes. E se não fazemos... é porque no fundo, essa pessoa não é assim tão importante quanto pensávamos (e isto dá para os dois lados...)

2 comentários

Comentar post