Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Something New

porque sempre que se fecha uma porta, abre-se uma janela

Something New

Nos próximos capítulos...

Sendo este o meu último ano de Universidade, pensar no futuro é algo que tenho feito com muita frequência. Torna-se complicado continuar a evitar a pergunta de ouro que todos me fazem que é: "O que planeias fazer quando acabares o teu curso este ano?" 

É difícil responder a uma pergunta que nos fazemos a nós próprios quase todos os dias e para a qual ainda não temos resposta. Por muito que eu pense no que vou estar a fazer daqui a uns meses, não consigo determinar exactamente o que isso será. Se calhar, para outras pessoas, a resposta seria fácil. Mas eu não sou as outras pessoas. Eu tenho várias opções; demasiadas até. A única que não tenho e também não faço muita questão de ter é de continuar a estudar. Sinto que já não há nada que as instituições de ensino me podem dar depois de acabar a minha licenciatura. E obviamente, o dinheiro não cresce das árvores e já me chega uma dívida de 21.000 libras nas costas, muito obrigada.

Eu acho que não nos devemos condicionar a só uma saída, a só uma opção, a só um futuro. Eu vou completar o meu curso com 22 anos. 22 anos é o quê neste mundo? Quase nada! Ainda há tanto para fazer, tanto para ver, tanto para experimentar e viver, que eu sinto que não posso nem devo condicionar-me aquilo que as pessoas querem ou esperam de mim. Vou explorar, vou continuar a ponderar, vou continuar à procura de várias opções, vários caminhos, possibilidades para a minha vida depois da universidade. Talvez durante 1 ano não faça nada. Talvez fique onde estou e tente poupar dinheiro. 

Talvez me passe da cabeça e volte para Portugal (o que acho pouco provável mas nunca se sabe). Talvez ponha um dinheiro de parte e me inscreva num programa de voluntariado e vou assim, partir para outra aventura. Talvez comece um protejo meu, me foque nisso e veja frutos. Talvez, quem sabe, consiga um estágio numa das casas editoras onde gostaria de trabalhar no futuro e entre já no mercado de trabalho.

Mas não vou escolher agora. Não vou decidir agora. E não vou pedir desculpa por não o fazer. Aos curiosos, assim continuem. Eu também estou curiosa para saber quais serão os próximos capítulos da minha vida. Mas com certeza que, sejam eles quais forem, vão ser aqueles que eu decidi, por mim mesma e não por influência dos outros ou daquilo que eles esperam de mim. 

Afinal de contas, nunca gostei de agradar a gregos ou a troianos. Sempre gostei de ser do contra.